[TUTORIAL] - Troca das velas de ignição

Faça você mesmo as instalações e manutenções em o seu Corsa.

Moderadores: SemControle, andre pirituba, Organizadores do Fórum

Responder

Avatar do usuário
luciano.well
:: Wind ::
Mensagens: 29
Registrado em: Quarta-feira 09 2011f Fevereiro 2011 10:51:48 PM
Localização: Belo Horizonte - MG
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

[TUTORIAL] - Troca das velas de ignição

Mensagem por luciano.well »

.

Fala gALLera!

Bão?! Aproveitei o sábado para trocar as velas de ignição do meu Corsa Hatch 1.4 Econoflex 2010/2011, comprado zero quilômetro e com o hodômetro atualmente marcando pouco mais de 19 mil quilômetros.

Ainda que o manual oriente a substituição das velas de ignição por volta dos 30 mil quilômetros, elas foram trocadas em função do tempo, já que o Corsinha vai fazer 4 anos de uso no início do ano que vem.

Muitas pessoas certamente irão me questionar: “Mas, como assim?! Velas de ignição sofrem desgaste apenas com o passar tempo???”. E minha resposta será um sonoro e enfático “simmm”!!! Com o passar do tempo, e em contato principalmente com o álcool, as velas de ignição oxidam-se e podem ficar presas no cabeçote. Portanto, não vacilem: a displicência na troca das velas, que ultimamente custam uma ninharia, pode sair bem mais caro, exigindo a retífica da rosca ou até mesmo a troca do cabeçote.

Por esse motivo, considero a “febre” das velas de ignição iridium, que infesta oficinas e empolga multidões, uma verdadeira insanidade. Mesmo que o eletrodo de iridium resista intacto por longos anos e por várias dezenas de milhares de quilômetros, o mesmo não ocorre com o material que reveste a rosca da vela. Como esse assunto das velas iridium é longo e controverso, prefiro não me estender e ir ao direto ao título do tópico.

Apesar de eu sempre comprar componentes genuínos para a manutenção do meu Corsinha, no caso das velas de ignição optei pela utilização das NGK, modelo BPR7E-D, classificada como “green” pelo fabricante e dotada de tratamento superficial exclusivo. Pelo jogo paguei míseros 48 reais, ou seja, em torno de 1/5 do que eu pagaria pelas similares com eletrodo de iridium. Como o teste dos cabos de vela não indicou problema algum, julguei desnecessário trocá-los por agora.

Abaixo, seguem os passos para a troca das velas de ignição. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato. Abraços a todos!



DOCUMENTAÇÃO UTILIZADA

- Manual de Reparações do Corsa, disponível no endereço http://www.reparadorchevrolet.com.br/

- Dicas de Serviços: Substituição das velas de ignição, disponível no endereço https://www.reparadorchevrolet.com.br/d ... nicao.aspx

- Tabela de aplicação de velas e cabos de ignição NGK 2011/2012



FERRAMENTAS E MATERIAIS UTILIZADOS

- Jogo de soquetes com catraca de 1/2” Tramontina Pro
- Extensão para soquetes de 1/2" x 18” Kingtony
- Soquete sextavado para velas de 1/2 x 20,8 mm com borracha interna Kingtony
- Torquímetro Flex-O-Click L120 Gedore
- Desengraxante
- Escova dental
- Panos de algodão (já bem usados, para não soltar fiapos)
- Água quente
- Óleo para motor 5W30



1º Passo

Retire os cabos de vela puxando-os pelos conectores, nunca pelos cabos. Verifique se a cavidade onde as velas estão instaladas possui alguma sujeira ou contaminante que possa cair dentro dos cilindros durante o processo de troca. Se necessário, ainda com as velas antigas instaladas, limpe tudo com uma escova dental, desengraxante e água quente. Em seguida, seque tudo com um pano de algodão macio e que não solte fiapos.



2º Passo

Com a chave catraca, a extensão e o soquete sextavado, retire as velas antigas do cabeçote girando-as em sentido anti-horário. Recomendo utilizar a chave catraca apenas para o desaperto inicial. Uma vez rompido o aperto, prefira utilizar apenas as mãos para retirar as velas. Essa é uma boa hora para analisar o estado da velas, e consequentemente, a saúde do seu motor. Consulte o catálogo da NGK para saber mais.

No caso específico do meu corsa, apesar das velas apresentarem uma coloração dentro dos padrões, impressionou-me a oxidação da rosca/corpo da vela e o desgaste dos eletrodos com tão baixa quilometragem.



3º Passo

Com um conta-gotas ou algo similar, coloque de uma a três gotas de óleo na rosca da vela de ignição, e com uma escova dental, espalhe-o por toda a superfície da rosca. Eventualmente, retire o excesso com um guartdanapo.

Em seguida, utilizando apenas as mãos, rosqueie a vela no sentido horário até o final do seu curso. E com o torquímetro, a extensão e o soquete sextavado, finalize o aperto com um torque de 27,5 N.m. Coloque os cabos de vela e.... voilà!!!


Em tempo: Por motivos de segurança, ainda que mais demorado, prefiro realizar o serviço em um cilindro por vez, ou seja, retiro a vela usada e imediatamente coloco a vela nova, de forma a evitar que algo caia acidentalmente dentro do cilindro e cause uma verdadeira catástrofe.


Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem


.





Avatar do usuário
awaked
:: Moderador ::
Mensagens: 10833
Registrado em: Terça-feira 01 2011f Março 2011 02:26:17 PM
Localização: Curitiba - PR
Modelo do veiculo: CORSA HATCH MAXX 1.4 ECONOFLEX
Ano de fabricação: 2011

Mensagem por awaked »

Parabéns pelo capricho. E por fazer um tutorial. Eu mesmo nunca me liguei pois considero simples, mas sem dúvidas você compilou belas dicas.

Eu acabo melecando a rosca das velas com óleo da vareta mesmo. Mas espalho com o dedo.

Também troco a cada 20.000 km. Eu uso mais etanol e as velas saem já em estado péssimo na rosca.

Boa o torquímetro, já ouvi falar bem desse modelo que usou, é de estalo. Eu uso de vareta mesmo, certamente não é o melhor em precisão mas pra serviços caseiros assim é mais do que suficiente.





Avatar do usuário
luciano.well
:: Wind ::
Mensagens: 29
Registrado em: Quarta-feira 09 2011f Fevereiro 2011 10:51:48 PM
Localização: Belo Horizonte - MG
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

Mensagem por luciano.well »

awaked escreveu:Parabéns pelo capricho. E por fazer um tutorial. Eu mesmo nunca me liguei pois considero simples, mas sem dúvidas você compilou belas dicas.

Eu acabo melecando a rosca das velas com óleo da vareta mesmo. Mas espalho com o dedo.

Também troco a cada 20.000 km. Eu uso mais etanol e as velas saem já em estado péssimo na rosca.

Boa o torquímetro, já ouvi falar bem desse modelo que usou, é de estalo. Eu uso de vareta mesmo, certamente não é o melhor em precisão mas pra serviços caseiros assim é mais do que suficiente.

Pois é, Awaked... Muitos proprietários, assim como muitos "mexânicos", seja por negligência ou ignorância, não efetuam a troca das velas de ignição em função do tempo. E quando resolvem trocá-las, já é tarde demais: o estrago já está feito.

Na categoria dos negligentes, inclusive, sou réu confesso, já que mesmo sabendo dos riscos, enrrolei quase quatro anos para trocar as velas do meu Corsinha. E a julgar pelo estado de oxidação das roscas e a dificuldade para retirar as velas, mais alguns meses de enrrolação poderiam ser determinates para essa história não ter um final feliz.

Quanto ao torquímetro, para serviços que não necessitam de altíssima precisão, considero esse torquímentro o de melhor custo-benefício do mercado: preço baixo com a qualidade de um legítimo produto Gedore.

A propósito, esqueci de mencionar no tutorial que, apesar de parecer óbvio, não custa lembrar:


>>>>>>>>>>>>>>>>> ATENÇÃO <<<<<<<<<<<<<<<<<<

A TROCA DAS VELAS DE IGNIÇÃO DEVE SER FEITO COM O MOTOR FRIO!!!


.





Responder

Voltar para “Tutoriais”