Anúncios

[SOLUÇÃO] - Análise do motor via Scanner Diagnótico Automotivo

Lista de discussão dos amantes do Chevrolet Corsa de todo o Brasil. Atualidades, curiosidades, dicas, informações, e outras coisas mais sobre o nosso querido carro.
Moderadores: Administradores, Organizadores do Fórum
Anúncios
Responder
monzaclub20efichz
:: Wind ::
Mensagens: 4
Registrado em: Domingo 15 2010f Agosto 2010 04:05:59 PM
Localização: Porto Alegre - RS
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

Mensagem por monzaclub20efichz »

Para que se possa fazer uma análise dos sensores da injeção, é necessário ter um padrão para analisar, como o minha da Meriva 2008 tem o mesmo motor do Corsa, posto os logs obtidos pelo OP COM (comprei no mercado livre da D.H. Imports (a versão que gera logs sem erro é a 090, a 080 tem mas não consegui fazer funcionar e a 070 nem sequer prevê o log, só on line mesmo). O ELM 327 comprei direto da China (DealExtreme.com) e usei a versão de avaliação do TouchScan para o log.

O OP COM é muito superior a ELM 327, sendo que o ELM não funcionou de jeito nenhum na Meriva 2008, só na Zafira 2005, e o OP COM deve funcionar em qualquer GM pós 97.

Roteiro para usar o OP COM

Abram o aplicativo depois cliquem nesta ordem
Diagnostics
Escolham o ano, no meu caso 2005
Escolham Corsa, o seu modelo de carro
Engine
O mais parecido com o nosso motor da minha Meriva Flex 1.8 é o Z 18XE

Para saber qual o tipo do seu motor escolha um dos disponíveis, depois veja se a RPM em lenta está próxima de 1000 RPM para confirmar se a escolha está correta, depois tente manter o mais próximo de sua cilindra 18 = 1.8.

Vejam os códigos e erro e depois em análise
Lá tem um botão na parte inferior a esquerda que grava o log, ele pede que confirme o nome do arquivo e em seguida começa a gravar, quando até quando quiserem, depois abram o arquivo CVS com o bloco de notas e susbstituam a , (vírgula) por ; (ponto e vírgula) e o .(ponto) por ,(vírgula) depois é só abrir com o interpretador Excel ao final disponibilizado.

Testes Padrões:

Primeiro LOG

-Primeiro ligue o scanner, com a ignição ligada (luzes) e motor desligado (motor frio pela manhã), comece a logar
-Pise vagarozamente no pedal do acelerador até o fim do curso, depois solte-o bem lentamente até a posição de repouso.
-Ligue o motor do carro e deixe a temperatura ir até a metade, até ligar a ventoinha, desligue o carro e o scanner e salve este log, não acelere apenas para estabilizar a lent no incício, se necessário.

Segundo LOG (logo após o primeiro com o motor quente)

-Primeiro ligue o scanner, com a ignição ligada (luzes) e motor desligado, comece a logar e depois ligue o motor do carro
-Deixe 30 segundos na lenta.
-Suba a rotação para 2000 RPM e deixe 30 segundos assim, se não tiver conta-giros acelere um pouco.
-Suba a rotação para 3000 RPM e deixe 30 segundos assim, se não tiver conta-giros acelere um pouco mais.
-Agora dê umas boas aceleradas no motor para perto de 6000 RPM, do tipo acelere fundo e tire o pé, bem rápido, pelo menos umas 5 vezes.
-Deixe voltar por 30 segundos na lenta.

Terceiro LOG (só para caros com velocímetro por cabo):
Se tiver notebook basta sair e andar com o carro logando, se não tiver, levante uma ou as duas rodas de tração colocando o carro em cavalete e faça as rodas girar, basicamente vamos ver se o sensor de velocidade está funcionndo.

Porque fazer deste jeito? Se fizer de uma forma qualquer não será fácil achar pontos de comparação, além de não testar corretamente os sensores, pois os teste forma imaginados para que todos os sensores possam ser avaliados.

Interpretadores dos logs via Excel (32 bits versão completa com opção de rodar macros), gera todos os gráficos prontos para serem interpretador, posso auxiliar na interpretação, mas sempre no Chevroleiros.

Interpretador Genérico (deve valar para todos os carros)

http://www.mediafire.com/?89c303qp0pq6wjk para logs curtos
http://www.mediafire.com/?fdxqerd8hpxp7w7 para logs longos

Como se faz uma análise? Comparando com os padrões que iremos obtendo, a análise pode ser feita como explicado para os Monzas em http://chevroleiros.forumeiros.com/t2-s ... multec-700 lendo a partir de "Testes Padrões"

Não há como fazer uma análise individualizada agora porque só tenho padrões para Meriva e Zafira 8 válvulas flex, mas a idéia básica é ir comparando os gráficos padrões e encontrando anomalias tipo zerado, travado, com picos inexplicáveis fora da faixa padrão, e como base de comparação pode iniciar-se analisando contra os meus logs, afinal a base do motor é a mesma, não importa muito a cilindrada.

Por favor vão postando os logs bons e ruins para:

http://chevroleiros.forumeiros.com/t4-a ... 27-e-excel

O suporte e explicações serão efetuados somente por lá!


Anúncios

monzaclub20efichz
:: Wind ::
Mensagens: 4
Registrado em: Domingo 15 2010f Agosto 2010 04:05:59 PM
Localização: Porto Alegre - RS
Modelo do veiculo: CORSA (DEMAIS)
Ano de fabricação: N/I

Mensagem por monzaclub20efichz »

Continuação ...

Primeiro, porque usar um scanner? Na maioria dos carros modernos a extração dos códigos de erros só é possível com o scanner, e em segundo lugar e o mais importante, os problemas mais difícieis de diagnosticar é quando o sensor não está estrgado, mas descalibrado, enviando informações erroneas à ECM, está análise só pode ser feita através de comparações de gráficos padrões, e é isso que trata este tópico

Vou exemplificar com o melhor exemplo disponível:

O gráfico do avanço, ele indica o valor do ajuste do ponto (antigo avanço a vácuo e centrífugo dos carburados),

Gráfico padrão normal LOG2
Imagem

Gráfico padrão de problemas LOG2:
Imagem

Análise gráfica de problemas:

Este teste só é possível via scanner, faz um dignóstico do estado geral do motor. No LOG 2 na fases de lenta no máximo 5 pontos e fase de 2000 e 3000 RPM deve oscilar no máximo 5 pontos, quanto menos oscilar melhor está a diferença de compressão entre cilindros e o estado das velas e cabos de velas. Oscilações acima de da faixa esperada ou ainda maiores indicam problemas em velas ou cabos de velas (faísca ineficiente em 1 ou mais cilindros), ou problemas de diferença de compressão entre os cilindros (válvulas presas, com excesso de carbonização, comando gasto, anéis quebrados, cilindros ovalizados, pistão furado, cabeçote rachado, junta queimada). Normalmente a oscilação é maior em lenta do que em alta RPM, em problemas menos graves quase não oscila em alta, só em lenta, mas isso não significa que não deva ser corrigido, o ideal dentro da faixa esperada de pico a pico em lenta, do contrário há problemas e o consumo deve estar bem ruim.

Vejam a diferença entre os logs BOM e RUIM acima, mas este é um grafico do ElanScan e não do OP-COM, a diferença é que não deve variar ais do que 1 em todas as RPM, mesmo em lenta. Vejam como fica uma serra o gráfico em lenta, neste caso tinha problemas, mas era só cabos de velas ruins, mas poderia ser qualquer das coisas ditas acima.

O que isso quer dizer? É que a ECU recebe os dados da posição do virabrequim, e percebe que o tempo esperado para que um cilindro atingisse o ponto morto superior não é o tabelado, ou seja ele chegou antes ou depois do esperado, significando que um cilindro está mais forte ou mais fraco e sua velocidade não é a mesma dos demais, isso é apenas uma fração de segundo, mas então a ECU reage e adianta ou atrasa o ponto para compensar, e é isso que vemos no gráfico, quanto todos os cilindros estão iguais este gráfico é estável, e em alta RPM a compressão tende a se estabilizar devido a menor perda de compressão pelo fato que como o tempo de subida do pistão é menor pois está mais rápido, menos tempo para perder esta compressão, então o gráfico estável em alta RPM.


Anúncios

juniorbedendo
:: Wind ::
Mensagens: 19
Registrado em: Quinta-feira 16 2010f Setembro 2010 03:59:03 PM
Localização: Juatuba - MG
Modelo do veiculo: CORSA SEDAN PREMIUM 1.4 ECONOFLEX
Ano de fabricação: 2008

Mensagem por juniorbedendo »

Galera e pra wind? Existe algum pra instalar no notebook?
Abraço.


*Junior Bedendo*
Anúncios

Responder

Voltar para “Corsa Clube List”

PESQUISAR